Ir ao dentista é um hábito saudável e que só traz benefícios. Contudo, o medo do consultório odontológico é muito comum, principalmente em crianças, na maioria das vezes por falta de informação e orientação adequada.

No caso dos pequenos, cuidados como procurar um especialista adequado e incorporar a higiene bucal à rotina, de forma divertida, fazem toda a diferença na mudança do comportamento das crianças ao irem ao dentista.

O zelo com as primeiras idas dos pequeninos a um consultório odontológico é muito mais importante do que imaginamos, já que pacientes adultos “medrosos” costumam ter esse comportamento como consequência de problemas enfrentados no dentista ainda crianças.

Se você anda temendo a primeira consulta do pequeno ou tem se deparado com obstáculos cada vez que leva seu filho ao dentista, continue a leitura e acabe de vez com essa dor de cabeça.

Faça da higiene bucal um Momento Divertido
  

A primeira consulta ao dentista costuma ser recomendada quando nascem os primeiros dentinhos, geralmente a partir dos seis meses, como rotina. Além de prevenir problemas, é uma forma de desvincular a figura do dentista da dor, do desconforto e do desconhecido.

Contudo, a importância de manter a saúde bucal pode começar em casa. Na fase de bebê, limpar a cavidade bucal com gaze umedecida muitas vezes já é o suficiente para manter a região limpa e longe de problemas.

Conforme vão crescendo, por volta dos dois anos, as crianças já podem ser incentivadas a fazer a própria higiene, após as refeições. Além de desenvolverem a coordenação motora, os pequenos passam a entender algumas etapas essenciais na escovação infantil.

As crianças devem ver a higiene bucal como algo prazeroso e divertido. Por isso, faça desse momento uma brincadeira, utilizando equipamentos lúdicos, como escova de dentes e toalhinhas coloridas, e historinhas estimulantes, para incentivar as crianças a incorporarem a saúde bucal à rotina, de forma natural e correta.

E não se esqueça: se você não tiver bons hábitos de higiene, será difícil convencer seu filho a fazer o mesmo. Antes de tudo, mantenha os cuidados essenciais com a saúde bucal e mostre aos pequenos, na prática, a importância de se fazer o mesmo.

Procure um Odontopediatra


Embora todo dentista esteja apto a resolver problemas bucais, o odontopediatra recebe uma formação específica para cuidar da saúde bucal dos pequenos com segurança e, ao mesmo tempo, descontração.

Por isso, na hora de buscar um tratamento odontológico para a criança, não hesite em procurar por esse profissional.

Além do conhecimento técnico da área, o odontopediatra está qualificado, com conhecimento sobre psicologia e pediatria, para atender problemas comportamentais como medo, traumas e birras.

Junto com os pais ou cuidadores da criança, o profissional vai identificando as causas para as dificuldades da visita ao dentista, de forma recreativa e calma.

Converse e Tranquilize a Criança


Prevenção é sempre a melhor forma de evitar problemas, como as cáries, e também desassociar a ida ao dentista da dor e do desconforto. Por isso, instrua a criança também sobre os males causados pela má escovação ou a falta dela.

Fique atento, apenas, para tranquilizar a criança, em vez de amedrontá-la, para não causar o temido sentimento de rejeição ao dentista. Além disso, o pequeno deve entender a consulta como um momento de carinho e cuidado com os dentes, e não como uma punição ou castigo.

O Consultório deve possuir Elementos Divertidos

Você já observou como um consultório pediátrico parece um miniparque de diversões, cheios de brinquedos e objetos coloridos? Esses elementos são essenciais para fazer as crianças se sentirem confortáveis e à vontade.

É muito comum clínicas que se preocupam com o bem-estar das crianças no dentista utilizarem todos esses recursos para apaziguar os desconfortos que elas possam estar sentindo.

Muitos dentistas costumam trocar, ainda, o jaleco branco por coloridos e oferecer “brindes” aos pequenos que se comportam bem, tais como medalhas de dentinhos e escovas de personagens infantis.

O mais importante, no entanto, é verificar como o seu filho se comporta naquele ambiente e com o profissional que o trata. E, acima de tudo, estimule os cuidados com a saúde bucal desde cedo, levando a criança ao dentista de forma periódica.

Gostou do texto? Está passando por essa situação? Deixe seu comentário!

Gostou? Compartilhe com seus amigos!
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
× Posso ajudar?